sábado, 9 de dezembro de 2017

Gente Que Brilha

O professor Edson Paiva foi destaque na educação carioca e, por isso, recebeu homenagem pelos seus trabalhos desenvolvidos na Escola Municipal Nair Fonseca, na zona Oeste do Rio. Em um país onde a educação não é valorizada, ensinar é uma luta diária. Quando um professor entra em uma escola, ele tem a dimensão do que a sua atitude pode causar na vida de seus alunos e no quanto seus gestos  podem modificar uma sociedade.

Seus ensinamentos potencializam as pessoas na sua essência. Ele não é apenas um educador, mas um amigo e companheiro. Ele caminha junto com os seus alunos na descoberta de novos conhecimentos e compartilha  suas experiências profissionais.



Professores que inspiram 

O Jornal Impacto parabeniza ao professor Edson Paiva pelo seu trabalho desenvolvido na rede municipal. Nosso objetivo é divulgar experiências vivenciadas em sala de aula através de projetos pedagógicos que promovam a construção do conhecimento. Acreditamos que os professores são essenciais para a transformação das pessoas.

Ao Edson, pela dedicação e pelo compromisso com o ensinamento que dinamizamos, parabenizamos pela trajetória percorrida. Que estejamos sempre unidos em busca de um construir sólido que possibilite que a nossa missão seja alcançada plenamente.

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Celebração dos 200 Anos de Nova Friburgo

Como parte das comemorações de seus 200 anos, Nova Friburgo inaugurará o Natal de Todos os Povos no dia 09 de dezembro de 2017, próximo sábado, às 19h, na Praça Getúlio Vargas. O evento será uma homenagem aos países colonizadores com 10 árvores temáticas espalhadas em várias praças da cidade, cada árvore terá as cores da bandeira dos países colonizadores do município. A programação está disponível aqui.

Em uma cidade belíssima, onde os visitantes encontram o que há de melhor no clima da montanha, a ETR - Operadora de Turismo leva os turistas para conhecerem os ótimos lugares de Nova Friburgo. Famosa por suas montanhas, rios, cachoeiras e dona de uma das maiores áreas de Mata Atlântica do Brasil, a cidade proporciona uma grande variedade de opções para o turismo de aventura. Já a gastronomia conta com influências dos colonizadores, com destaque para as tradicionais cervejas artesanais friburguenses.

Nova Friburgo oferece diversos locais bacanas a seus turistas. Um deles é o Jardim do Nego, local com esculturas moldadas por meio de uma técnica diferente de todas convencionais e mantido por Geraldo Simplício, conhecido como Nego. O artista veio do estado do Ceará e mora sozinho no local há mais de 30 anos. Geraldo recebe por mês cerca de 500 pessoas e seu caderno de visitas tem quase 100 mil assinaturas.


E, se o turista quiser experimentar uma boa cerveja, é só visitar a Barão Bier, uma cervejaria artesanal criada pelo casal Edna Moraes e Cosme Leandro e que surgiu com o objetivo de produzir e difundir o consumo de cervejas artesanais na região de Nova Friburgo. 





Outro local bom para visitação é o Nova Friburgo Country Clube, um dos mais tradicionais clubes da cidade. Com uma área de 225 mil metros quadrados, dos quais 80 mil fazem parte de um jardim, tendo sido projetado pelo paisagista francês Glaziou, o mesmo idealizador do projeto da Quinta da Boa Vista na cidade do Rio de Janeiro, o clube é uma excelente opção para caminhar e curtir a natureza.

Com todos esses atrativos culturais, gastronômicos e naturais, Nova Friburgo é um lugar encantador que vale a pena ser visitado. 

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Pequenas atitudes que fazem a diferença

Meio ambiente é um conjunto de condições e influências naturais que envolvem os seres vivos e age sobre eles. Assim sendo, o meio ambiente não envolve somente plantas, animais e belas paisagens, mas todos os seres vivos e os ambientes em que nele vivem. Enquanto não houver uma harmonia entre essas convivências, a vida no planeta se tornará cada vez mais difícil.

Pequenas atitudes podem melhorar o visual e diminuir os impactos ambientais. Construir um modo de vida que mantenha o planeta saudável é o desafio de cada habitante da Terra. Por isso, as ações devem ser contínuas e imediatas. Algumas medidas simples podem contribuir para manter recursos naturais e não poluir o local onde vivemos.

Uma das pessoas que tentam melhorar o meio ambiente é o senhor Delso da Chácara "A FOLHA" Plantas e Jardins, localizada na Estrada do Piaí, em Praia da Brisa (RJ). Delso não se preocupou apenas em cuidar de sua chácara, ele plantou diversas árvores e flores nas áreas externas ao longo da rua. Ele acredita que não fez mais do que a obrigação de cidadão para cuidar do meio ambiente.

Atitude sustentável é fazer as coisas que preservem o meio ambiente e que melhora a vida das pessoas, é usar com responsabilidade os recursos naturais que são esgotáveis, como a água,  por exemplo.

Anos atrás, Luiz Martins, do Jornal Impacto desenvolveu um projeto chamado “Plantando  para Sobreviver”. Este projeto foi desenvolvido com a participação de professores e alunos da Escola Técnica Estadual João Luiz do Nascimento (FAETEC de Nova Iguaçu) e foi implantado em escolas e vias públicas no estado do Rio. Um projeto de restauração florestal em áreas de preservação permanente, com o objetivo principal de recuperação do solo com a plantação de árvores ornamentais e frutíferas de pequeno e médio porte em locais como escolas e vias públicas. O projeto visa à proteção do solo, recuperação do oxigênio e a neutralização dos gases de efeito estufa que agravam o aquecimento global.

O papel das florestas na vida do ser humano nunca foi bem compreendido. Entretanto, com a repercussão negativa na qualidade de vida e só depois de muitos anos, as influências florestais sobre o clima, ar, água, solo, saúde e aspectos psicológicos na vida de todos ganharam a real importância.

O aumento da população, aliado às mudanças do ambiente impostas pelo próprio ser humano exercem grandes pressões sobre a atmosfera, ocasionando diferentes impactos sobre a natureza.  

Precisamos seguir exemplos como o do senhor Delso e Luiz Martins e tomarmos consciência das atitudes que devemos ter com o ambiente em que vivemos. Às vezes, os pequenos gestos têm melhores resultados do que projetos mirabolantes que não levam a lugar algum. E, para que a nossa missão seja alcançada plenamente, compartilhe esta ideia.

domingo, 3 de dezembro de 2017

Almoço Beneficente com Honrarias e Méritos.

No dia 02 de dezembro de 2017, o vice presidente do Jornal Impacto, Luiz Martins, recebeu a "Moção de Aplausos e Reconhecimento" conferida pelo INPASBRA - Instituto Impacto Social do Brasil,  Jornal Impacto e pela APEB - Aliança de Pastores Evangélicos do Brasil.

A Moção foi conferida em reconhecimento pelos dignificantes trabalhos realizados na área da fotografia, disseminando boas práticas que favorecem o desenvolvimento econômico, social e ambiental do país.

Luiz Martins foi premiado no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Entre as 17 fotos premiadas, Martins teve duas fotos selecionadas para retratar a implementação da Agenda 2030 no país. As fotos representarão dois projetos: o de desenvolver infraestrutura de qualidade e o de reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles. 

A homenagem aconteceu durante um almoço beneficente realizado na Igreja Missionária Cristã em Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro, e contou com a presença de diversos pastores, professores, e do bispo Elias do Nascimento que entregou a moção a Luiz Martins.

As fotos de Luiz Martins já foram destaque em outras entidades, como: "Fotógrafos do Brasil" e Revista "Fotografe Melhor". Representado o Jornal Impacto nas Olimpíadas do Rio, Luiz Martins também registrou com suas fotos o Legado Olímpico da cidade  do Rio e das cidades que apoiaram as Olimpíadas 2016.

Ação beneficente. 

Como já aconteceu em diversas ocasiões, o INPASBRA - Instituto Impacto Social do Brasil e a APEB - Aliança de Pastores Evangélicos do Brasil realizaram um almoço beneficente.

Nas últimas décadas, o INPASBRA e a APEB, têm estado cada vez mais presentes nos diferentes segmentos da sociedade, motivando trabalhos sociais, desenvolvendo projetos que visam melhorar o relacionamento e a vida das pessoas. Seus representantes desenvolveram, durante décadas, projetos e ações voltados para o atendimento nas comunidades, sejam a partir de ações individuais ou de instituições assistenciais. Com este espírito, prestam-se assistência àqueles que mais precisam. 

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Garrafas pets no lugar de peixes

Pescar requer cada vez mais fé. Não é história de pescador, é história da vida real.

Sepetiba fica a 75 Km do Centro do Rio de Janeiro. A praia, que já chegou a concorrer com a Praia de Copacabana em relação à beleza e à frequência, teria tudo para ser um dos mais belos ponto do Rio de Janeiro, mas a poluição do mar acabou com a praia. O clima de cidade do interior atrai pela recepção dos moradores, pela comida gostosa dos restaurantes e pela beleza da pracinha, onde, inclusive, foram feitas as gravações da novela “O Bem Amado”, em 1973.

Sepetiba, que já chegou estar entre os maiores pólos pesqueiros do país, hoje, a dificuldade dos pescadores locais é muito grande. Não se pesca a quantidade que se pescava antes. A renda está caindo cada vez mais, por causa dos empreendimentos na Baía de Sepetiba.

Localizada na  região oeste do Rio, a Baía de Sepetiba é hoje uma importante área para a economia do estado. Ao seu redor, estão grandes empreendimentos como o Porto de Sepetiba, em Itaguaí, o terminal da Ilha Guaiba, da Vale, a Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA) ThyssenKrupp e o Estaleiro de Construção de Submarinos, na Ilha da Madeira.

Pescadores sobrevivem catando garrafas pets pelo mar. O que antes eram peixes, hoje os barcos dos pescadores chegam cheios de garrafas plásticas recolhidas na baía. Em entrevista ao Jornal Impacto, os pescadores disseram que recolhem as garrafas desde Restinga do Marambaia até a Orla de Sepetiba.

As questões ambientais vêm sendo muito discutidas atualmente em todos os locais do mundo, mas infelizmente a sociedade ainda não se conscientizou, que a nossa sobrevivência depende da educação.
Enquanto não houver uma mudança de comportamento no ser humano, o Planeta sofrera as consequências. É preciso uma mudança de comportamento. Essa mudança de comportamento se dá através da educação ambiental e educação do próprio ser humano. Ele precisa entender que é parte da natureza, e a única esperança para a restauração e equilíbrio do nosso planeta.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

A Plateia Livre da Arte Profana.

Os saudosos fãs da Legião Urbana já têm destino certo no próximo sábado, o show da banda Arte Profana na Areninha Carioca Gilberto Gil em Realengo, na zona oeste do Rio. Com mais de vinte anos de carreira, a Arte Profana é referência em se tratando de Legião Urbana. Replicando sucessos da saudosa banda de Renato Russo, Marcos Vinni, Maninho Bass, Ziel de Castro, Fernando Freitas e Henrique Mulhofer levarão seus fãs de volta a 1994, tocando, na íntegra, o fatídico show Plateia Livre que, mais tarde, virou o lindo álbum "Como é que se diz eu te amo?".

Arte Profana.

Em entrevista ao Jornal Impacto, a Arte Profana nos contou um pouco de sua história, projetos e sobre o próximo show, "nós iremos fazer as pessoas estarem dentro daquele show de 94", disse Fernando Freitas, vocalista da banda.

Jornal Impacto: Como surgiu a ideia da banda? 

Arte Profana: A banda surgiu de uma ideia entre dois amigos que estudavam na mesma escola, Marcos Vinícius (Marcos Vinni) e Henrique Muhlhofer Tuffi (Henrique Muhlhofer), que viram na cena cultural do momento uma boa oportunidade de expressar o que sentiam.

JI: Há quanto tempo estão juntos? Essa é a formação original? 

AP: A banda foi formada em 1991 e passou por várias formações, inclusive entrada e saídas de vocalistas. A Arte Profana sempre teve um trabalho autoral. 

JI: A intenção de fazer um tributo à Legião Urbana existiu desde o início?

AP: A motivação para o Projeto Tributo Legião Urbana se deu por insistência dos fãs da Legião Urbana, logo após o falecimento de Renato Russo.

JI: Todos os integrantes têm projetos paralelos? Conte-nos mais sobre eles. 

AP: Sim. Marcos Vinni, Maninho Bass e Ziel de Castro fazem parte de um projeto que possui um trabalho autoral, a Jardim Bélico, e participam, juntamente com o ator Bruce Gowlevisk, do Espetáculo Teatral “Renato Russo, a peça” em cartaz há mais de 10 anos nos teatros e demais espaços culturais por todo o Brasil. Fernando Freitas e Henrique Mulhofer criaram um projeto intitulado “A Legião Urbana e Você”, um acústico com releituras diferenciadas das músicas da Legião Urbana, além do projeto autoral intitulado “Áspera”.

JI: Quais são as músicas da Legião Urbana mais pedidas para vocês tocarem durante os shows?

AP: As canções da Legião Urbana tomaram formas atemporais e há inúmeras canções solicitadas nos shows, Tempo perdido, Será?, Eduardo e Mônica são algumas delas.

JI: No show-tributo mais recente que fizeram, um fã subiu ao palco para cantar com vocês, isso é rotineiro? 

AP: A manifestação do público vem de diversas maneiras. Entendemos isso como algo peculiar a cada um e da forma como que lidam com suas esperanças, sentimentos e com a música da Legião Urbana. Subir ao palco não é rotineiro, mas torna-se comum quando há uma singularidade coincidente em algum show.

JI: Como é a relação de vocês com os fãs? 

AP: Tratamos todos com a maior naturalidade possível. Sabemos que somos um veículo de propagação das canções e legado da Legião Urbana, entretanto, ao longo dos anos a Arte Profana adquiriu o seu público particular e que acompanham as apresentações.

JI: Além da Legião, quais são as influências da banda? 

AP: Muita coisa! Desde música à mais simples forma de manifestação artística. É difícil falar das influências.

JI: Quais são os planos da banda para o futuro?

AP: Para 2018, ainda não sabemos. Na comemoração dos 25 anos de Banda, iríamos fechar o ciclo, a Arte Profana iria terminar. Acreditamos que nossa missão envolvendo o trabalho com a Legião Urbana foi cumprida. Hoje, a motivação principal para a continuidade desse projeto, sem sombra de dúvidas, é o público, fãs da Legião Urbana e fãs da Arte Profana. Quanto aos projetos paralelos, acredito que irá adiante. Cada um fazendo aquilo que estiver se sentindo bem para fazer ou, quem sabe, novos projetos surgirão? Afinal, a vida é a única arte que não temos tempo para ensaiar.


Das peculiaridades sobre o próximo show, a presença de um dos maiores fãs clubes da Legião Urbana, "Todos numa só Legião", é uma boa surpresa. O  ingresso que ilustrou a capa do álbum de referência deste show foi cedido pelo presidente do fã-clube, Luiz dos Anjos, conhecido como Anjinho, à própria Legião.

Fã Clube - Todos Numa Só Legião.

O show irá acontecer no dia 02/12, próximo sábado na Areninha Carioca Gilberto Gil situada na Avenida Marechal Fontenelle, 5000 em Realengo, com abertura dos portões às 21h para a banda de abertura Rádio Ruido. 

Banda de abertura - Rádio Ruído.

Paisagens urbanas do Rio de Janeiro


O contraste entre a beleza do Pão de Açúcar e o cotidiano de concreto da cidade.


Recentemente, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) divulgou os vencedores do concurso de fotografias que teve como objetivo premiar imagens que retratam a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil, disseminando boas práticas que favorecem o desenvolvimento econômico, social e ambiental do país.

São 17 fotos selecionadas em um concurso com milhares de fotos das cinco regiões do país. Estas fotos representarão os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (https://nacoesunidas.org/pnud-divulga-vencedores-de-concurso-de-fotografia-sobre-objetivos-globais/). Uma das fotos representará ODS-10, que tem como objetivo reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles. 

O contraste entre as edificações e as belezas naturais do Rio ajuda a enfeitar ainda mais a cidade maravilhosa. Porém, a desigualdade social que se encontra nessas mesmas paisagens não é nada simpática aos olhos cariocas. A igualdade é a meta para um país mais justo. 

Por isso, me orgulho de fazer parte dessa grande iniciativa e de poder compartilhar esta ideia com os todos os meus amigos e fotógrafos do país e do mundo.

Por (Luiz Martins)

Agregando diversão e aprendizagem

Agregando diversão e aprendizagem por (Professor Edson Paiva).

Como agregar diversão e aprendizagem ao contexto escolar?

Esta resposta deve ser muito bem vinda por todos educadores que atuam em sala de aula no ensino fundamental. Mas, mediante a dura realidade parece estar distante de se tornar uma realidade, não é? Errado!

O professor regente tem inúmeros problemas e inúmeras possibilidades pedagógicas diariamente. E, a partir da observação dos problemas é possível usar a criatividade para sanar tal dificuldade no aluno, seja cognitiva, ‘’indisciplina’’ ou comportamento. Cada caso é um caso, não há receita mágica, claro. Porem, as tentativas devem ser incansáveis.

Atuando no 6 ano Experimental neste ano de 2017, numa turma bastante heterogenia, com grandes  discrepâncias no nivelamento cognitivo- 40 alunos. Atuei incansavelmente com diversas tentativas/ possibilidades quase que diariamente para poder reunir diversão e aprendizagem. É importante entender que, quanto mais atualizado o regente estiver, mais condição, mais possibilidades poderá utilizar em sua prática de ensino.

Em 2016, também com 6ano Experimental, a partir de julho iniciei uma pratica de Xadrez em sala de aula. Percebi que um número expressivo de alunos se interessou em participar. Foi tão interessante a inclusão do Xadrez nas aulas que ao final do ano letivo fizemos o 1torneio de Xadrez Escolar da nossa escola Nair da Fonseca. Na ocasião unimos alunos de 4 turmas de 6ano da escola. Foi muito bom!

Já neste ano, com a turma de 40 alunos, utilizei de estratégias bem mais pedagógicas. Planejei o ensino ao jogo; a história do Xadrez, contos relacionados ao Xadrez; assistimos vídeos sobre o valor e importância de saber jogar Xadrez, o quão é benéfico ao aluno.

No inicio das praticas havia alunos com conceitos muito baixos, que estavam com altíssimas dificuldades em alcançar os objetivos propostos. Contudo, ao nos utilizarmos da valorização da prática de Xadrez e o quão é de excelência quem sabe jogar Xadrez, muitos alunos se dedicaram tanto, que facilmente for percebido avanço cognitivo em grande parte. Muitas vezes eu utilizava de ‘’barganha pedagógica’’- ‘’só entra nos grupos de Xadrez quem alcançar os objetivos propostos’’.

Não se trata de ser só mais um jogo. O Xadrez utilizado como ferramenta pedagógica é sim um jogo, mas também é arte, é jogo da memória, é disciplina, concentração, tomada de decisão, respeito, ética, autoestima e muito mais.

No ultimo dia 17 de novembro, fizemos a culminância do projeto Xadrez Escolar- Um projeto de Vida. Dentro do andamento das atividades, tivemos alunos monitores, os quais monitoravam alunos de outras turmas; assim foi possível nos utilizarmos no ambiente escolar de ação integrada; os alunos eram participes do processo de ensino/aprendizagem.

A relevância do projeto foi tanta que o mesmo está embasado em teorias educacionais. Todos os alunos monitores foram observados individualmente no processo quais os mesmos adquiririam informações, liberdades, atividades, valores, a partir da influencia e participação. Isto é aprendizagem significativa. Ele aprende e percebe a relevância, está ao seu alcance de imediato a sua utilização e sua pratica. Isto é sócio interacionismo.

A culminância foi em grande evento de Xadrez Humano- as peças eram os próprios alunos. Um tabuleiro gigante, uma apresentação impar aos pais, aos alunos de outras turmas que se impressionaram com a inovação. Com certeza o xadrez escolar interage com o meio externo, sai da teoria e se torna pratica, ao mesmo tempo que é possível aguçar a relação mediada por sistemas simbólicos. No xadrez escolar há interdisciplinaridade, há amadurecimento da percepção, atenção é memória. E tudo isto com muita diversão.
  
Edson Paiva - Educador e Ativista Cultural.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil

PNUD divulgou resultado do “Concurso de Fotos ODS

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Uma iniciativa da ONU para estimular a divulgação e a implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil.

O projeto identifica fotografias que remetam à implementação dos objetivos globais para colaborar com o desenvolvimento econômico, social, ambiental e institucional do país como foco na Agenda 2030. O concurso teve participação de fotógrafos de todo o país e abrangeu 17 categorias, cada uma sobre um ODS, e foram selecionadas três imagens por categoria. 


terça-feira, 21 de novembro de 2017

Semana da Saúde na Cinelândia

O Grupo Bandeirantes de Comunicação apoia mais uma edição da Semana da Saúde, que começou nesta terça-feira (21), e vai até a próxima sexta-feira (24), das 7h às 17h, na Cinelândia, no Centro do Rio. Esta é a 8ª edição do evento. Além da já tradicional doação de sangue do Hemorio, o público vai poder realizar serviços de prevenção em saúde. A expectativa é captar cerca de 500 bolsas diárias.
Postagens mais antigas Página inicial
Copyright © JORNAL IMPACTO | Suporte: Mais Template