domingo, 23 de abril de 2017

SUPERVIA DESRESPEITA IDOSOS E CADEIRANTES




A falta de acessibilidade na estação de trem de Bangu é um problema que dificulta a locomoção de idosos, gestantes e deficientes físicos. A estação não tem rampa de acesso e as escadas rolantes e os elevadores estão parados.
Sem nenhuma adaptação, para se chegar até a estação é um sacrifício. Os cadeirantes e idosos que embarcam na estação, precisam ser carregados no colo ou na cadeira pelos usuários ou funcionários da Supervia até chegar as bilheterias e depois até as plataformas.

SUPERVIA NÃO CUMPRI A LEI DE INCLUSÃO.

Pela Lei Brasileira de Inclusão, pessoas com mobilidade reduzida como os cadeirantes, idosos, obesos e grávidas têm prioridades quando o assunto for acessibilidade. Pela lei, o que antes era apenas infração, agora é considerado crime. As regras valem para todos os meios de transportes, menos para SUPERVIA, pois pela falta de respeito parece que ela não foi enquadrada como meio de transporte.

A dignidade da pessoa humana é princípio fundamental da República e o Ministério da Justiça e Cidadania tem o dever de implementá-lo. Conhecer os direitos da pessoa com deficiência é o primeiro passo para que eles sejam efetivados e respeitados. É com este espírito que devemos  disseminar as informações para que toda a sociedade sobre as legislações brasileiras possa fazer cumprir as leis. Cabe a nós como cidadãos exigir a aplicação efetiva das leis.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Copyright © JORNAL IMPACTO | Suporte: Mais Template